Os Babysteps – Parte 1


Oi gente!

Quando comecei a escrever este post tinha a intenção de falar apenas de alguns babysteps que eu considerava mais importantes. Mas a medida que eu fui passando de um por um, vi que todos eram importantes e que eu queria falar alguma coisa de cada um deles. Resultado: o post estava ficando enorme. Então, resolvi dividi-lo em partes (menos enormes, rsrsrsrs), ok?

Hoje quero compartilhar com vocês minha experiência com os babysteps. Como eu tinha comentado, o método se inicia por eles. A orientação da Fly Marla, criadora do sistema, é que todas devem começar por aqui. No primeiro mês você não deve fazer nada além dos babysteps (passinhos de bebê). Existe um para cada dia do mês, e cada um deles deve ser incorporado na sua rotina diária e virar um hábito.

Vou colocar aqui a figurinha dos 31 babysteps que a Fly Aninha do blog Casa Fly criou e dividiu com a gente.

Babysteps - RESUMO

Dia 01 – Pra começar você deve brilhar a pia. Só isso. De uma forma bem simplificada: lavar os pratos, enxugar tudo e guardar, limpar e secar o balcão. Se quiser fazer certinho, como manda o método, entra lá num dos grupos que eu já falei aqui, que tem um arquivo explicando direitinho como fazer sua pia brilhar.

Levei muito tempo pra entender a importância desse babystep. Quem não tem esse hábito não imagina como é bom acordar e encontrar a pia sem nenhum prato no escorredor, muito menos sujo dentro da pia. É bom demais! Tudo flui melhor. Tá pensando que é besteira? Experimenta e depois conta aqui pra gente. Chegar a noite do trabalho, cansada e não ter nenhum prato pra lavar, não tem preço. E no meu caso, que moro só (digo só porque a pequena ainda não sabe brilhar a pia), se eu não fizer, não tem quem faça. Os pratos vão ficar lá me esperando. Como prova da minha procrastinação. Por isso, brilhe sua pia! Vale a pena.

Dia 02 – No segundo dia você deve vestir-se completamente, inclusive com sapatos de amarrar. Esse babystep eu considero voltado totalmente para quem trabalha em casa. Quem trabalha fora, como eu, acorda e já se veste mesmo pra ir trabalhar, não tem escolha, não é verdade? Por isso desconsidero esse.

Dia 03 – Agora você deve repetir tudo e acompanhar o grupo (um desses que eu falei aí em cima ou algum de whatsapp que você faça parte). Acompanhar um grupo é muito importante para o método porque as moderadoras nos mandam diariamente o “plano de voo” (Fly – voar – plano de voo 😉 ), que contém o plano semanal, a missão do dia e o hábito do mês. Além disso, nos grupos a gente lê depoimentos de outras flies, tira dúvidas, recebe dicas. É uma troca muito rica. Vale a pena.

Dia 04 – Simplesmente anote o que foi feito até o momento. Lembrando que cada um desses passos deve virar um hábito. Então você vai fazer cada um deles todos os dias daqui pra frente. Anote também as dicas que as outras flies passaram no grupo, os lembretes do que você deve fazer todos os dias, e o que mais você achar necessário.

Dia 05 – “Afaste/transforme as vozes ruins”. Esse eu considero um dos mais difíceis, porque envolve a questão emocional, a autoestima. Daqui pra frente o que você deve fazer é não mais se permitir pensar coisas negativas sobre você mesma. Eu sempre fui considerada bagunceira por minha família, preguiçosa pelo meu ex. Hoje eu sei que eu não sou. Eu não quero ser e não vou me permitir ser. Outro dia meu namorado me disse assim: “Eu sempre me considerei organizado, mas hoje eu vejo que você passou na minha frente e muito”. Outra coisa que ele me diz muito é para eu não me cobrar tanto. Que minha rotina é muito pesada e que se eu me cobro muito, perco minha serenidade. E não é que é verdade? Então, vamos afastar as vozes ruins e nos tornar mais leves. Acreditar que somos capazes e que vamos conseguir. E acima de tudo, não querer fazer mais do que podemos para não ficarmos frustradas depois.

Nesse passo você deve anotar o que essas vozes ruins costumam falar na sua cabeça e transformá-las em coisas positivas. Vou dar um exemplo que uma Fly postou no grupo, e que ilustra bem o que esse babystep quer dizer: “Não vou dar conta!” se transforma em “Tudo posso naquele que me fortalece”. Se você não tem religião, anote uma frase de incentivo. O importante é mudar seus conceitos sobre você mesma.

Dia 06 – O sexto passo é se livrar de um hot spot em 2 minutos. Mas o que é hot spot? Sabe aquela cadeira que fica no seu quarto e você acaba colocando um monte de roupa em cima e nunca guarda? Ou aquele cantinho da sala onde todo mundo larga chave, celular, bolsa, e fica uma bagunça? Isso é hot spot! A definição formal do sistema é “Ponto Quente – local da casa onde a bagunça sempre se acumula, aquele local que deve sempre ser observado pois todos os dias coisas se acumularão nele.”

Então, nesse passo é para você ligar o timer em 2 minutos e tirar o máximo de coisas que puder. Não é para tirar e colocar em qualquer lugar, é para tirar e guardar no lugar certo, ok? Dependendo da situação, vai ser preciso repetir esse procedimento várias vezes até acabar de vez com um hot spot.

Dia 07 – Separe as roupas do dia seguinte. Tão simples e tão útil. Especialmente para as mulheres. Quem nunca ficou de manhã olhando pro guarda-roupa e pensando: “com que roupa eu vou?”. Só quem trabalha de farda, claro! Geralmente quem trabalha fora, e pega cedo no trabalho, valoriza cada minutinho de manhã. Seja pra dormir um pouquinho mais, seja pra tomar um banho mais demorado, preparar o café da manhã, enfim… cada um sabe suas necessidades. E este hábito nos garante alguns minutos preciosos. Então, antes de dormir, já pense em quais são seus compromissos do dia seguinte, se possível dê uma olhada na previsão do tempo, e já deixe separada a roupa que vai usar no dia seguinte.

Para facilitar a minha vida eu fiz o seguinte: comprei um conjunto de cabides de uma cor bem diferente do que eu costumo usar (no meu caso foram 6 cabides roxos :D) e deixo no lado mais acessível do meu guarda-roupa. No fim de semana eu já penso quais roupas pretendo usar durante a semana e coloco nesses cabides. Durante a semana, a noite, eu pego o cabide e coloco no banheiro, já com calcinha e sutiã. Quando acordo é só ir para o banheiro tomar banho e a roupa já está lá me esperando.

Espero que vocês estejam percebendo a importância desses passinhos de bebê. Adquirir novos hábitos não é fácil, eu sei. Mas precisamos perseverar. Pensem em ter seus finais de semana livres pra curtir a família, descansar, namorar… sem peso na consciência porque devia estar fazendo faxina. Mas isso aqui não é mágica, hein? As pessoas que se consideram FlyLadys levaram meses para implantar completamente o sistema. Lembrem-se: passinhos de bebê.

Vou parar por aqui porque o post está gigaaaante! Continuo semana que vem quando vocês tiverem feito esses babystes, ok?

Será que alguém conseguiu ler até aqui?

Alguém? rsrsrsrs

Beijos e até breve!

Anúncios

Publicado por

Mamãe Fly

Sou mãe de uma linda menina de 7 anos, sou virginiana, trabalho fora 8h por dia e sonho em ter uma casa organizada e tempo pra aproveitar a vida com as pessoas que eu amo.

20 thoughts on “Os Babysteps – Parte 1”

  1. Post grande mesmo!!! Mas muito útil! Alguns já faço, outros acho que consigo fazer, outros nem em sonho. Por exemplo: o que mais tem lá em casa é hot spot, sempre que deixo arrumado e brilhando, outro alguém vai lá e acaba com todo o meu serviço. Desisti de tentar esse fim de semana mesmo! Passei o sábado organizando e tentando colocar ordem na bagunça e bastou o povo ver que já era! Paciência! Tentarei implantar no meu quarto e somente nele. Obrigada pelas dicas amiga!

    Curtir

    1. Tarci! Que bom que alguém leu até o fim! Você me enche de esperança, rsrsrsrs
      Quando a gente divide a casa com outras pessoas fica mais difícil mesmo. E, as vezes pessoas mais velhas são mais resistentes a adquirir novos hábitos. Mas alguns desses você pode fazer independentemente dos outros moradores. Vão facilitar na correria matinal. E quem sabe eles vendo seu quarto todo arrumadinho eles não reconhecem seu esforço no resto da casa? 😉
      Não desista!
      Beijos e obrigada por dividir sua evolução com a gente!

      Curtir

  2. Gostei muito do post. Embora sejam atividades que muitas pessoas façam ou saibam que deveriam fazer quando se esquematiza e procedimenta fica mais palpável, pois existe uma lógica na sequencia. O que me fez pensar foi que os “hot spot” são um grande desafio e dependendo pode ser necessário adquirir algum móvel específico para conter o aparecimento deles. Eu gostei da ideia dos cabides! Vou implantar

    Beijão

    Curtir

  3. Essa questão dos hot spots está muito ligada ao destralhe. Se você tem coisa demais não vai ter lugar para tudo. Daí surgem, muitas vezes, os hot spots. É muito importante que cada coisa tenha o seu lugar. Pode ser um móvel, pode ser uma cestinha em cima de um móvel. Depende do que você está acumulando.
    Beijos

    Curtir

  4. Tô com um hot spot enorme nesse momento lá em casa, tudo que ainda não arrumamos da mudança está no quarto de visitas, rsrsrs. E jogando mais… Espero vê-lo bem limpinho até o final da semana. Mas acredito que no dia a dia meu maior hot spot é a mesinha de Mári, além dela encher de coisas a gente também sai jogando coisas lá.

    Curtir

    1. Mas como você acabou de se mudar, é assim mesmo, Mônica. Passinhos de bebê. Conversa com os outros moradores da casa sobre as vantagens de manter a casa em ordem. Uma delas é mais tempo e disposição pra pequena e pro maridão 😉
      Beijos

      Curtir

  5. Olá! Tudo bem? Encontrei seu blog hoje enquanto pesquisava sobre organização doméstica. Tenho um bebê de 1 ano e 11 meses e parece (não só parece, ela fica desorganizada!)que minha casa nunca fica organizada. Todos os dias tento fazer o máximo que posso mas na hora de dormir quando olho em volta está impossível sentir prazer de estar em casa. Vou dormir muito frustrada e chateada todos os dias. Acabo sempre fazendo tudo de uma vez uma ou outra vez na semana e fico exausta. Meu filho não tem rotina…. dorme muito tarde e acorda muito tarde. As vezes vou dormir as 3 da manhã e resultado disso é nós dois acordando tarde. Por conta do sono não tenho ânimo para levantar e arrumar a casa. O que dificultas mais ainda é que moro numa cidade sem minha família por perto. Então, não tenho ajuda de ninguém. Meu filhote tira tudo do lugar (panelas, mantimentos, roupas do guarda roupa e outras artes….kkkk) Tem sido muito dificil até porque eu faço tratamento contra depressão e ansiedade por 5 anos. Não encontro motivação. E passo de preguiçosa e relaxada, qndo na verdade tento fazer e não consigo dar conta. 😦

    Curtir

    1. Oi Jackeline!
      O Blog anda meio parado, mas em breve pretendo retomar as postagens.
      Organizar a casa quando estamos com bebê não é fácil mesmo! O importante é não entrar em pânico.
      O que eu mais gosto desse método, o Fly Ladies, é que a gente aprende a não se cobrar tanto. Não precisamos ser perfeitas. Precisamos dar um passinho de bebê a cada dia. E se cair da carruagem, “levantar, sacodir a poeira” e recomeçar. Qualquer dia é um bom dia pra começar.
      Cada passo é uma vitória e uma conquista. Se permita ficar feliz com cada pequena vitória.
      Outra lição importante desse método, e que precisamos ter sempre em mente, é que a casa não ficou bagunçada da noite pro dia, então também não vai ficar organizada novamente num passe de mágica.
      Comece com os baby steps e qualquer dúvida pode mandar e-mail. Se eu puder, terei o maior prazer em ajudar.
      Beijos e boa sorte!
      Mande notícias!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s